Estudos

9 DE JULHO – REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 32

By 18/10/2019 No Comments

9 de Julho

 

Revolução Constitucionalista de 32

Um Mito que Honra São Paulo!

Um grito de Amor à Pátria!

Uma lição Cívica à Nação!

Um feito Imortal dos Paulistas!

 

I – Nasce um Novo Mito Paulista

1 – No dia 9 de Julho é anualmente lembrando e celebrado, no Estado de São Paulo.

Esta é a data em que uma plêiade de Paulistas corajosos e decididos, se levantou em armas, contra o governo provisório de Getúlio Vargas, na presidência da República.

Getúlio destituiu os governos do país.

Nomeou interventores, em Estados e Municípios.

Os paulistas, patriotas de sete costados, não ficaram indiferentes à ação do Getúlio golpista.

Reagiram e foram à luta, com o apoio da população… Muitos deram a vida pela nação. O governo federal fechou todos os portos e não permitiu a entrada de armamentos.

O Estado mais forte da nação, não teve como receber apoio em armamentos, do estrangeiro.

Assim, não teve como enfrentar o contingente, fortemente armado, do Exército e da Marinha. Muitos brasileiros deram seu sangue e sua vida para exigir o respeito do governo federal!

Impotentes, em 1º de outubro do mesmo ano, os revoltosos paulistas se renderam!

A refrega durou apenas três meses. Três meses de grandes iniciativas, de grandes lutas.

Três meses que ficaram na história. Três meses inesquecíveis.

A Revolução Constitucionalista transformou-se num dos grandiosos mitos paulistas, ao lado dos Bandeirantes outro mito imortal e de outros mais.

 

2 – Apesar da derrota, na prática, os paulistas ganharam a Revolução.

No ano de 1933,  foi atendida a exigência da nova Constituição, proclamada em 1934.

Estava solucionado o impasse: O Brasil passou a ter de novo,  uma regular ordem constitucional, com garantias de liberdade cívica e política.

Ficou, claro o velho adágio popular: Perder uma batalha não é perder a guerra!!

II – Os Vencidos – Vencedores

3 – A Revolução Constitucionalista foi um exemplo do poder e da força estratégico e cívica dos paulistas. Em pouco tempo, as lideranças mobilizaram o povo. O povo bandeirante não se omitiu e venceu. Após a primeira derrota; Os Vencidos, nas armas, foram vencedores na argumentação e na ação política, no diálogo convincente.

Eles elegeram, como símbolo da força de São Paulo, os nossos bravos Bandeirantes. Criaram outros símbolos que mobilizaram e entusiasmaram, o povo.

Criaram até bandeira própria e moeda própria, selos próprios e muito mais.

O nosso poeta, Guilherme de Almeida – brilhava com seus poemas libertários, que caiam na alma do povo, como energia imbatível…

O povo paulista/bandeirante não ficou indiferente, ante as agressões do Poder Político do Brasil.

 

4 – Os Bandeirantes foram a grande força simbólica da Revolução de 32.

O povo mostrou a sua força.  Por isso, o poder central, Getúlio Vargas, atendeu às exigências da Revolução. Atendeu as exigências dos paulistas, do povo bandeirante.

Ficou comprovado que o povo, quando tem razão, tudo vence, ainda que tenha de enfrentar e superar grandes controvérsias.

Resultado Final

Os líderes foram exilados, os Bandeirantes, por serem a grande força moral dos paulistas, passaram a ser difamados, embora o Bandeirismo tenha feito este país continental, no séc. XVII e XVIII.

Enfim, ficou patente a força moral de nossos heroicos Bandeirantes: Mortos há séculos, continuavam vivíssimos na mente e na alma do povo paulista: O povo Bandeirante.

O povo bandeirante, mostrou a sua força mais uma vez!

 

III – Marcas Imortais

5 – Entretanto, São Paulo e os Bandeirantes estão mais vivos do que nunca!

Eles são a força que fortalecem os paulistas. Somos o povo bandeirante com muita honra!

São Paulo continua a ser o Estado líder da Federação. E muito se revigorou!

A Revolução de 32 durou, três meses, em armas, e perdura até hoje e por todo o sempre, como exemplo da dedicação do povo, por seu país! Como marca de brasilidade e civismo. Como marca de heroísmo.

A Revolução de 32 deixou à posteridade uma inapagável lição de força, coragem, dedicação e amor à Pátria. A Revolução é uma inapagável lição de vida e de civismo!

Deixa marcas indeléveis, pela cidade: O Mausoléu do Soldado Constitucionalista,  e o grande Obelisco do Ibirapuera, a Av. 9 de Julho e muito, muito mais.

O Brasil conseguiu o que os paulistas reivindicaram a sua Constituição.

Então podemos dizer que os perdedores tiveram a vitória almejada: Os derrotados foram vitoriosos.

 

6 – O Obelisco é um dos dez principais ícones históricos da cidade de São Paulo.

É o monumento histórico mais alto de São Paulo.

Está situado num ponto de alta visibilidade, como um galo que canta, em cima do telhado, para acordar a cidade, de seu sono letárgico…

O Obelisco a 32, é como um grito do Brasil, pedindo paz, solidariedade e amor à Pátria, ao nosso torrão vital.

7 – Diríamos que mais importante do que ganhar ou perder é reagir ante os desmandos de alguém; é não ficar indiferente, ante o mal feito que prejudica o povo e a nação;

é participar; é cada um fazer a sua parte, com engenho e arte, com dedicação, por um país, para um mundo melhor, para todos!

Textos e Fotos: J.Peralta

 

Leave a Reply