Estudos

PELICANO

By 07/04/2020 No Comments

PELICANO

1. O Pelicano é uma notável e grande ave aquática. No mundo existem oito (08) espécies desta ave.
Entre suas características, destaca-se o seu bico comprido, com uma bolsa na garganta, característica da espécie.
Em média, o pelicano pesa até 13 kg.; a envergadura das asas é de cerca de 3 m.; o comprimento do corpo: 1,8 m.
O Pelicano alimenta-se principalmente de peixe.

 

2. O Pelicano existe nas zonas temperadas e nos trópicos. Está ausente nos polos.
Cada espécie de pelicano é nativa de uma certa região do mundo.
Os pelicanos são aves sociáveis; pescam em grupo. Geralmente também nidificam em grupo; cada espécie de forma diferente.

3. O Pelicano Branco faz o ninho em árvores; o Pelicano Peruano, habita na América do Sul e nidifica nas rochas; o Pelicano Castanho nidifica no chão.
Os machos transportam o material e as fêmeas constroem o ninho.
A incubação dos ovos é feita pelo casal, alternadamente. A fêmea, via de regra, põe três ovos de cada ninhada. Após seis semanas os filhotes começam a nascer.

4. Espécies Destacadas:
Pelicano Branco. Habita na Europa, na África e na Ásia. Apenas mergulha o bico na água para pescar.
Pelicano Pardo. Esta espécie mergulha na água para apanhar o peixe, com o bico. Apanham os peixes com uma estratégia grupal: formam um “U”, com o bando de aves, para cercarem os peixes…

5. Pelicano, como Ícone Cultural.
O Pelicano assumiu, através dos séculos, um rico e sugestivo papel alegórico. O modo como alimenta os filhos impressionou os observadores e os artistas.
A alegoria foi criada no mundo da lenda.
O Pelicano tornou-se ícone do Cristianismo, como alegoria de amor, de desprendimento e de generosidade; como símbolo de responsabilidade social.
O Pelicano é um ícone frequente nas Igrejas Cristãs-Católicas.

PELICANO COMO ÍCONE

1. Um Ato Simbólico.
O Pelicano é uma ave aquática de grande porte. Existe em todos os continentes. Só não existe nos polos.
Possui um bico largo e comprido, com uma bolsa extensível, na parte inferior, onde reserva os peixes, que apanha.
Para alimentar os filhotes, o Pelicano comprime a bolsa do bico contra o peito.
Deste ato de comprimir o bico contra o peito, para alimentar os filhos, nasceu a lenda de que o Pelicano rasga o peito para alimentar os filhos com o próprio sangue.
O Pelicano vale como alegoria, pouco importando o que a ave real faz de fato. A alegoria vale por si mesma e envolve muita sabedoria.

2. Símbolo Religioso.


Por este ato, o Pelicano ficou sendo uma alegoria da Redenção de Cristo: “Quem comer deste pão e beber deste sangue terá vida eterna” (Jo. 6. 54).
Este ato do Pelicano é um ícone de Jesus Cristo; um ícone de amor e desprendimento.
É também um eloquente ícone do amor materno.
O Pelicano é também um eloquente símbolo alado de dedicação ao próximo, aos carentes; um símbolo de responsabilidade social: sacrificar-se pelos necessitados…
Para os Cristãos, o Pelicano, ao derramar o seu sangue pelos filhos, é o símbolo do Redentor, do Messias, Jesus Cristo, que deu a sua vida pela salvação da humanidade; que alimenta os Cristãos com a Eucaristia.
É um símbolo da Eucaristia.
Por esta rica simbologia Cristã, a imagem do Pelicano, alimentando os filhos, tem presença marcante nas catedrais e nos templos Cristãos, no altar ou nos vitrais, etc., como símbolo do amor divino, pelas pessoas, pela humanidade.

3. Símbolo Para a Vida Cotidiana.


O Pelicano é também o símbolo de dedicação ao próximo, muitas vezes às custas da própria vida.
Muitos dão a vida pelos irmãos carentes ou necessitados, quer em nível social, físico ou espiritual.
Milhares e até milhões de Cristãos sacrificam sua vida, sua comodidade, pelos mais pobres e carentes, em todos os continentes, em atividades missionárias.
Na vida religiosa, como pessoas consagradas, ou na vida profana, muitos sacrificam-se pelos irmãos, mostrando-lhes o caminho de uma vida melhor e até cuidando de suas feridas físicas, psíquicas ou espirituais.
Quantos sacrifícios fazem os pais, o pai e a mãe, pela criação e educação dos filhos?!
Quantos sofrem, em silêncio, diariamente?!
Quantos sofrem os pais pelos filhos e os filhos pelos pais, a mãe pelo pai e o pai pela mãe?!
Quantas noites mal dormidas, para cuidar de quem precisa!
Aí estão os verdadeiros Pelicanos do dia-a-dia… Sim, o Pelicano também é símbolo da famílias e das pessoas consagradas ao bem do próximo, ao bem comum.

4. O Cristão Genuíno e a Doação.


O “Mandamento Novo’ (Amai-vos mutuamente), é bem representado pela alegoria do Pelicano.
Quantas opções ou decisões, difíceis e até penosas, o Cristão é convidado a fazer, com grandes sacrifícios pessoais, sacrificando comodidades, pelo seu semelhante?!
Quantos milhões de pessoas, em todos os países, sem olhar para trás, sacrificam suas vidas pelos irmãos, na educação ou em ações comunitárias, e até em trabalhos voluntários…
O Cristão genuíno não rejeita sacrifícios, para se doar por sua família, por seu país, pela humanidade, muitas vezes dando o próprio sangue, a própria vida.
O Cristão genuíno desenvolve a virtude da alteridade, do altruísmo, da caridade e vence o egoísmo pela melhoria da vida dos outros, da comunidade.
Escrever, pelo esforço, sacrifício e dedicação que exige, também pode ser uma forma de doação, pelo bem do próximo.

5. O Cristão e a Alteridade


Como o Pelicano, o Cristão precisa estar disposto a se sacrificar pelos outros, pelo próximo; a se doar pelo bem da humanidade; a se sacrificar pelos filhos e pelos irmãos.
Precisa saber cuidar dos fracos e dos enjeitados, como fez o “Bom Samaritano” (Lc. 10. 29-37), e como fez o pastor, com a Ovelha Desgarrada (Lc. 15. 3-6).
Quantos, pelo mundo a fora, todos os dias, dão a vida por seus irmãos, tanto em público, quanto no silêncio de seu lar e de seu coração!… Dão a vida um pouco por dia.
O Pelicano é também símbolo do Cristianismo, símbolo do amor, símbolo da caridade, símbolo da alteridade, símbolo da doação, símbolo da cidadania.
Sacrificarem-se uns pelos outros, em circunstâncias limite, é praxe de todas as civilizações, para que a vida continue: a vida livre e com qualidade. É uma condição natural de quem ama. Até os animais arriscam a vida por seus filhos, por seu grupo.

6. Pelicano, Protótipo do Cristão.


O Pelicano é um símbolo, uma alegoria de abnegação, de desprendimento, de altruísmo, superando a tendência ao egoísmo e ao comodismo.
Símbolo do sacrifício pelos outros. Símbolo do amor familiar, símbolo da família. É símbolo de generosidade.
Sem amor, sem caridade, sem abnegação, sem desprendimento, sem generosidade, o Cristianismo é vão; “nada vale” diria Paulo (ICor. 13. 2).
A lenda do Pelicano leva-nos à essência do Cristianismo: à superação do egoísmo, em favor do próximo, do outro.
Para caminharmos no caminho da perfeição, que buscamos, precisamos de abnegação, generosidade, caridade e humildade.
Não podemos fugir do sacrifício, para ajudar nossos semelhantes, para aperfeiçoarmos nossa caridade e amor ao próximo.
Assim descobriremos a valor divino do humano e o sagrado no profano.
Assim nos tornaremos filhos da Luz (Ef. 5. 8; Lc. 16. 8), templos do Espírito Santo (ICor. 3. 16, 17).
Trilha Sonora sugerida. Clique aqui:

Álbum Pelicano

 

 

Leave a Reply